Memorável para Santos e não foi só o albatroz

Português esteve em evidência com 8.º lugar final no Open da Irlanda do Norte

No domingo Ricardo Santos foi a estrela matinal do Shootout Sunday, para os 24 finalistas do Open da Irlanda do Norte, no Galgorm Castle Golf Club, em Galgorm, Ballymena. Em partidas a eliminar de seis buracos de stroke play, começou por ganhar ao norte-irlandês Cormac Sharvin com 3 abaixo do par contra o par do adversário; e depois deixou pelo caminho o chileno Nico Geyger com um albatroz no último buraco. 

“Chocante. Não temos palavras para o que aconteceu aqui na Irlanda do Norte”, lia-se, a propósito do feito do português, no Live Hub do site do Challenge Tour, que ia acompanhando o último dia de prova. 

Chegado aos quartos-de-final da competição, o português foi batido pela margem mínima pelo alemão Christian Braeunig. E depois, nos dois jogos para escalonamento dos lugares entre o quinto e o oitavo, Ricardo Santos perdeu-os ambos, frente a austríacos, primeiro com Lukas Nemecz, depois com Mathias Schwab. 

“Hoje foi um dia largo, comecei a jogar as 8h40 e só terminei de jogar as 16h30. Uma modalidade bastante diferente do normal, divertida até, mas bastante cansativa”, escreveu no Facebook, acrescentando: “O dia para mim ficou marcado com o Albatroz no buraco 18 no segundo match, o primeiro Albatroz da minha carreira (234 metros com o ferro 3). Foi uma semana bastante positiva, o próximo torneio será já na próxima semana na Noruega.” 

Com este oitavo lugar (entre 156 jogadores iniciais), recebeu um prémio de 5.040 euros e subiu de 24.º para 21.º no ranking do Challenge Tour. Os 15 primeiros no final da época são promovidos ao European Tour em 2018. 

Santos apurara-se no sábado empatado no 11.º lugar com 11 jogadores. Somando 207 pancadas (66-74-67), 6 abaixo do par. Houve cinco jogadores empatados no 23.º lugar com 5 abaixo do par e entre eles houve um play-off para decidir os dois que completavam o lote de 24 finalistas, play-off esse que sorriu ao inglês Max Orrin e ao austríaco Manuel Trappel – houve três austríacos na jornada de sábado. 

João Carlota, que passara o primeiro cut na sexta-feira, para os 60 primeiros e empatados, ficou nos 34.ºs, a duas pancadas desse play-off, com um total de 210 (68-73-69), 3 abaixo do par. 

Na final do Open da Irlanda do Norte, francês Robin Sciot-Siegrest bateu o italiano Alessandro Tadini para conquistar o torneio e o prémio de 28.800 euros. E no jogo para atribuição do terceiro e quarto lugares, Christian Braeunig derrotou o escocês Bradley Neil.

 

Fonte: http://golftattoo.pt