Pedro Figueiredo soma 5º título em seis meses

Pedro Figueiredo conquistou hoje (quarta-feira) o seu 3º título da época no Portugal Pro Golf Tour, o circuito que este mês sucedeu ao Algarve Pro Golf Tour, e o seu 5º troféu nos últimos seis meses em todos os circuitos em que compete.

De uma assentada o campeão nacional de 2013 arrecadou um prémio de 5 mil euros e posicionou-se na linha da frente da lista de candidatos portugueses a receberem um convite da PGA de Portugal para o Open de Portugal @ Morgado Golf Resort do próximo mês.

O jogador do Sport Lisboa e Benfica poderia ter sofrido menos e conseguido a vitória mais cedo, mas 1 duplo-bogey no 54º e último buraco do torneio forçou-o a discutir um “play-off” com o inglês Jamie Abbott, que se tinha cotado como o melhor jogador do Algarve Pro Golf Tour de 2016/2017, tendo mesmo garantido um convite para o Open de Portugal antes do circuito mudar de nome e rumar a Óbidos.

Pedro Figueiredo (voltas de 70, 68 e 71) estava a mostrar-se consistente no seu jogo e em três voltas tinha perdido apenas 3 pancadas, face a 12 birdies, mas talvez a vertigem da vitória o tenha levado ao erro e àquele duplo-bogey final que por pouco não lhe era fatídico.

Felizmente para o profissional do Quinta do Peru Golf & Country Club Jamie Abbott (68+72+69) também tinha feito 1 bogey no 18, depois de 1 eagle no 17.

«Fiz tudo para perder este torneio», lamentou-se Pedro Figueiredo ao site especializado “GolfTattoo”, acrescentando: «Joguei bastante bem nestes três dias. Nos dois primeiros não bati tão bem na bola mas “patei” muito bem. Hoje foi o contrário e até ao 18 não falhei nenhum green, mas pequei bastante nos greens, não meti muitos putts e depois acabei por fazer um duplo no 18».

Com os dois jogadores empatados com 209 pancadas, 7 abaixo do Par, foi necessário ir à “morte-súbita” e o jogador da Navigator recuperou facilmente em termos psicológicos daquele rude golfe, como o próprio frisou ao “GolfTattoo”: «No “play-off” joguei bastante bem. O 18 é um buraco bem difícil e consegui fazer Par e birdie, acabando por levar a melhor sobre o Jamie».

Parece ter sido já noutra vida, mas Pedro Figueiredo não tinha ganho qualquer torneio entre o Campeonato Nacional de 2013 (em agosto) e o Hilti / Mota Engil PGA Open, do PGA Portugal Tour em novembro do ano passado.

Um jejum doloroso, mas paulatinamente ultrapassado. Depois disso, em dezembro, ganhou o 2º Pinheiros Altos Classic do Algarve Pro Golf Tour e a Gran Final Gambito Golf do circuito profissional espanhol.

Já este ano, mas ainda referente à época de 2016/2017, impôs-se no 1º Morgado Classic do Algarve Pro Golf Tour, mostrando à PGA de Portugal e à FPG que pode jogar bem no percurso que irá acolher em maio o Open de Portugal; e agora foi o melhor na Final do rebatizado Portugal Pro Golf Tour!

Ou seja, depois de um período de seca de mais de três anos, colecionou cinco títulos em seis meses, sendo que dois desses cinco torneios ganhos foram em finais de circuitos muito competitivos.

Por outro lado, não podemos esquecer que é o atual nº1 da Ordem de Mérito do Pro Golf Tour, o circuito profissional germânico que funciona como a mais conceituada 3ª divisão europeia, onde, em 8 torneios disputados conseguiu três 2º lugares e mais três top-10!

É certo que tanto Tiago Cruz como Ricardo Santos também venceram três vezes neste Algarve Pro Golf Tour / Portugal Pro Golf Tour, mas nenhum português venceu tantos torneios como Pedro Figueiredo neste último meio ano.

E ele não escondeu o que tal significa, uma vez mais, em declarações ao “GolfTattoo”: «Ganhar um torneio é sempre bom, é bom para a confiança, é sinal de que o jogo está bem».

É, de facto, impressionante que, encerrada mais uma época do Portugal Pro Golf Tour, os portugueses continuem a dominar, com 12 títulos conquistados em 25 torneios organizados pela PGA de Portugal e pelo britânico Jamega Pro Golf Tour.

No entanto, ao contrário do ano passado, desta feita, nenhum golfista nacional terminou na primeira posição do ranking e não há dúvida que Jamie Abbott foi o mais regular.

Mesmo o convite para o Open de Portugal @ Morgado Golf Resort que estava em jogo nos três torneios de Óbidos acabou por não ficar em casa, apesar de todos os títulos terem ido para portugueses: Tiago Rodrigues, Ricardo Santos e Pedro Figueiredo.

Acabou por ser o inglês Craig Farrelly a ficar com esse convite, graças à sua regularidade: 5º (-3) hoje, 15º (-2) em Royal Óbidos e 3º (-6) no 1º Guardian Bom Sucesso Classic.

Olhando um pouco para a classificação final do torneio que hoje terminou, vale a pena ver como a grande estrela destes três eventos de Óbidos, o escocês Paul Lawrie, confirmou toda a sua categoria. O antigo campeão do British Open, que ainda há poucos meses foi 5º no Portugal Masters, ficou sempre no top-10 e melhorou em todos os torneios, terminando hoje no 3º lugar (-6).

Merecem ainda destaque os outros portugueses que terminaram no top-10 entre 35 participantes: Tiago Cruz foi 4º (-5), sendo o único jogador a igualar a melhor volta da prova de Paul Lawrie (66); João Carlota foi 8º (-2) e Tomás Silva e Hugo Santos empataram em 10º (-1).

O torneio foi também importante para Leonor Bessa, Tomás Bessa e Gonçalo Costa treinarem em competição, antes de iniciarem no próximo Sábado o Campeonato Nacional Absoluto (Amador) Peugeot, no Santo Estêvão Golfe, em Benavente, onde terão de ser incluídos no lote de favoritos ao título, embora nenhum deles tenha sido ainda campeão nacional amador.

As classificações, resultados e prémios monetários dos jogadores portugueses no 2º Guardian Bom Sucesso Classic foram os seguintes:

1º Pedro Figueiredo (Sport Lisboa e Benfica), 209 (70+68+71), -7, €5.000 (venceu no 2º buraco de play-off)
4º Tiago Cruz (BiG), 211 (70+66+75), -5, €1.000
8º (empatado) João Carlota (Team Portugal), 214 (71+76+67), -2, €462,5
10º (empatado) Tomás Silva (Club de Golf do Estoril), 215 (74+72+69), -1, €400
10º (empatado) Hugo Santos (Algarve Unique Properties), 215 (71+73+71), -1, €400
16º (empatado) João Ramos (Oitavos Dunes), 220 (74+78+68), +4
18º Tomás Bessa (Club de Golf de Miramar), 221 (70+77+74), +5
19º Gonçalo Pinto (Hilti), 222 (75+72+75), +6
20º (empatado) Tiago Rodrigues (Ping We Love Technology), 224 (78+73+73), +8
25º (empatado) Miguel Gaspar (Belas Clube de Campo), 227 (77+74+76), +11
27º (empatado) Rui Morris (Club de Golf de Miramar), 228 (76+81+71), +12
27º (empatado) Miguel Lourenço (Guardian Bom Sucesso Golf), 228 (72+82+74), +12
29ª Leonor Bessa (Club de Golf de Miramar), 229 (73+76+80), +13
30º Alexandre Abreu (Club de Golf de Miramar), 232 (74+83+75), +16
31º Filipe Corte-Real (Guardian Bom Sucesso Golf), 234 (76+81+77), +18
33º Gonçalo Costa (Lisbon Sports Club), 238 (78+86+74), +22 
34º Rogério Brandão (Clube de Golfe de Vilamoura), 243 (89+74+80), +27

Hugo Ribeiro / FPG
Fotografias: Publicadas pelo Portugal Pro Golf Tour no Facebook

Texto escrito conforme o Acordo Ortográfico - convertido pelo Lince.